Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

peripécias de zurique

peripécias de zurique

First day

Primeiro dia no escritório, tudo preparado de véspera, tudo planeado ao pormenor, horas definidas, dois despertadores para não adormecer mas... um deles avariado e o outro programado para a hora errada! Eis que o despertador me acorda 15 minutos antes da minha hora de entrada. Bonito! Enfim, milagrosamente e à velocidade da luz lá consegui vestir-me e preparar-me e voar para lá preparada para ouvir um ralhete.
And it was great!
Felizmente eles são muito relaxados no que toca a horários, desde que se cumpram as 8h diárias. Então no lugar de uma recepção tempestiva, tive uma bastante agradável acompanhada de um cartaz de boas-vindas amarelo e alguns presentes - chocolate suíço (do bom!!) e uma plantinha toda catita para pôr na minha secretária e cuidar dela todos os dias!
Pondo de parte tudo o que se diz sobre a arrogância, frieza e antipatia dos suíços e todos os preconceitos relativos à sua reputação, eu tenho de admitir que quer no escritório, quer aqui no prédio, todos foram extremamente acolhedores, simpáticos e prestáveis.
Quanto ao facto de arranjar casa, foi bem mais fácil do que esperávamos. Não é do conhecimento geral, mas normalmente é muitíssimo difícil encontrar uma "toca" na Suíça. Nas imobiliárias há gigantescas listas de espera para os poucos espaços disponíveis, e a maior parte dos que têm um preço aceitável são muito velhos ou mal localizados. Mas encontrámos um apartamento impecável, relativamente novo e numa vila encantadora. Fomos ver logo no dia em que chegámos a Zurique e, sorte das sortes: a casa pertencia a um senhorio particular, sem qualquer agência como intermediária. Ele gostou de nós, apesar das dezenas de pessoas que já tinham visto a casa, e pronto!
E é aqui que o conceito de antipatia e frieza dos suíços se torna surreal: Na primeira manhã em que acordámos no nº 1 da Kirchgasse encontrámos à nossa porta um tabuleiro com um fantástico e variado pequeno-almoço e algumas coisas de primeira necessidade que fossem necessárias, presentes de boas-vindas da nossa vizinha de cima: simpática, amorosa, acolhedora e... suíça de gema.
Tenho apenas a acrescentar que, com muita pena minha, ainda não tive tempo para passear e por isso não há fotos para ninguém, mas não percam a próxima peripécia, porque nós... também não!

1 comentário

Comentar post

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
Todos os conteúdos publicados neste blog estão registados na Inspecção Geral das Actividades Culturais, pelo que qualquer reprodução dos mesmos requer uma autorização prévia por parte da autora. O uso indevido ou para efeitos comerciais de textos ou imagens da autora poderá dar origem a processo judicial.