Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Novidades helvéticas

por Catarina, em 20.02.11
Caros amigos,
Confesso que tenho andado muito preguiçosa nestas coisas das actualizações e novidades, mas os últimos tempos têm sido um tanto agitados.
Os últimos dois fins-de-semana foram dedicados a palmilhar Zurique, coisa que surpreendentemente ainda não tínhamos feito desde que aqui chegámos. Como já é hábito, o nosso precioso e prestável vizinho fez as honras e guiou-nos por uma visita cliché pela “down-town” e beira-lago. E quanto a isto, só tenho a dizer que Zurique é uma cidade maravilhosamente limpa e organizada, onde os típicos arranha-céus a que as cidades famosas nos habituaram, perderam o lugar para formidáveis edifícios tradicionais, que tornam a cidade muito mais luminosa e arejada. O lago é majestosamente enorme, e tão limpo que no Verão as pessoas aproveitam a pausa do almoço para dar uns mergulhos, com os Alpes como pano de fundo. Antes de regressar a casa ainda tivemos tempo para um chá quentinho num simpático Irish Pub, que soube mesmo bem depois do frio que passámos.
No fim-de-semana seguinte decidimos explorar a cidade por nossa conta. Zurique é sem dúvida uma cidade a adicionar às vossas listas de lugares a visitar, no entanto, é bom que se preparem para gastar “algum” dinheiro. Para além do alojamento, alimentação e até do cafezinho, também (e principalmente) os transportes públicos são caríssimos. Por estas e por outras, decidimos levar o carro, já temendo a batelada que nos ia custar o parque de estacionamento. O timing não poderia ter sido melhor. À entrada encontrámos logo um estranho mas amistoso português que nos ofereceu o bilhete do parque que já não ia usar e que seria válido por 24h. Porreiro. Ganho o dia, lá fomos nós ao Zurich Wildnis Park visitar os nossos amigos ursos. Infelizmente, eles tinham partido de férias para um destino paradisíaco e muito mais quente, e por isso tivemos que nos contentar com os alces, as renas, os javalis e os lobos. Todos estes animais viviam de forma natural e não estavam presos dentro de jaulas. Apenas umas redes delimitavam o gigantesco perímetro que era o seu habitat. Pondo de parte a desilusão de não termos encontrado os ursos e os linces, adorámos esta pequena selva, há imensos percursos que permitem longas caminhadas para aqueles que apreciam o ar puro e a natureza. No Verão, para além de mais animais, este parque tem também um espaço muito agradável para um churrasco com os amigos, e a cereja no topo do bolo: A entrada é livre.
Daqui seguimos para o centro da cidade, queríamos conhecer a famosa Bahnhofstrasse. A rua mais comercial e distinta de Zurique, que à parte de imensas lojas de prestígio e muita “gente gira”, não tem nada de especial.
Para os corajosos que decidiram ler o meu relato até ao fim, um grande beijinho e umas fotografias:







Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18



Catarina

foto do autor


Então e mais?

peripeciasdezurique@gmail.com



Parceiros






Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D